sábado, 22 de abril de 2017

Devemos Sempre Ouvir o que o Senhor tem a nos dizer.

Jeremias 25.3-7


            Este capitulo trata de algumas verdades e alertas que formam transmitidas pelo profeta Jeremias ao povo de Deus, a nação de Judá. O profeta Jeremias nasceu por volta do ano 645 a.C, era de uma família sacerdotal e viveu na aldeia de anatote (1.1). Recebeu o seu chamado por volta de 627 a.C, quando tinha aproximadamente apenas 18 anos de idade. Foi contemporâneo dos profetas Sofonias (1.1), Habacuque (Hc 1.6) e Ezequiel (Ez 1.2). Profetizou durante os reinados dos reis Josias, Jeoaquim e Zedequias. Seu nome significa “O Senhor é Exaltado”. Seu ministério durou cerca de 40 anos.
                  No texto em questão, está registrado a profecia de que Judá passaria Setenta anos cativos na Babilônia, seriam setenta anos sem ver a sua terra amada, sem cultuar no seu tá amado templo e para piorar a situação, eles teriam um rei pagão que reinaria sobre eles. O que levou o povo a esta calamidade, foi o fato de fecharem os ouvidos as Palavras de Deus reveladas e proferidas pelos profetas. 

  I.        DEUS SEMPRE FALOU AO POVO – Jr. 25.3-6


a.    Jeremias fala que durante 23 anos e até aquele dia, havia anunciado a palavra de Deus ao povo de Judá, v.3a. – durante esse longo período, Jeremias nunca deixou de anunciar a Palavra de Deus a Judá.

b.    Jeremias nos informa que começava anunciar a Palavra de Deus de madrugada, v.3b. – Jeremias foi um exemplo de mensageiro fidelidade e perseverança da palavra de Deus.

c.    Poucos missionários e pregadores tem essa disposição e persistência.

d.    Deus sempre tem enviado mensageiros a seu povo

 II.        NÃO OUVIR A VOZ DE DEUS, TRAZ COMO CONSEQÜÊNCIA O CATIVEIRO – Jr. 25.7-14.

a.    Jeremias foi perseverante em proclamar a Palavra do Senhor ao povo, mas apesar de sua persistência, o povo se recusou a escutar, a obedecer, v. 3b, 4, 7, 8.
b.    Deus sempre falou ao povo, através dos seus servo, os profetas (v.4).
c.    Deus não desejava que o povo sofresse, mas que se arrependesse e se convertesse a Ele (v.5).
d.    Caso não houvesse arrependimento, o povo sofreria o justo castigo divino (Vs 8-14).

III.        DEUS CONVIDA O POVO AO ARREPENDIMENTO E CONVERSÃO. 
a.    Diante de todas as Palavras e ameaças feitas pelo Senhor através dos seus servos os profetas, o povo foi convocado a um real arrependimento e retorno para o Senhor, v. 5.
b.    Os pensamentos de Deus para o povo, eram pensamentos de paz e recompensa, se tão somente buscassem ao Senhor de todo o coração – Jr. 29.11-13.
c.    Ao ter um reencontro com o senhor, o povo teria a sua sorte mudada (Condenação) e invocaria ao Senhor, oraria ao Senhor e teriam suas orações ouvidas, vs. 14, 12.

CONCLUSÃO:
Esta mensagem nos ensinou que:

a.    Deus sempre enviou os seus servos, os profetas a falar a sua Palavra ao povo, para:

a.    Trazer o povo ao arrependimento,

b.    Convertê-los dos seus maus caminhos

c.    Conduzi-los em santidade

d.    Deus tem enviado seus servos para pregarem sua Palavra a igreja, para:

a.    Edificar e trazer o povo ao arrependimento,

b.    Converter através da Palavra,

c.    Conduzir a igreja em Santidade.

e.    As consequências se não dermos ouvidos as Palavras de Deus:

a.    Deus tem oferecido seu amor e seu perdão a todos que ouvem sua Palavra,

b.    O tribunal de Cristo, em breve será evidente a todos, 2 Co 5.10; Hb. 10.26-31;

c.    Como é relatado no livro do profeta Jeremias, podemos ver a confirmação ainda hoje, que Deus sempre tem falado a sua Palavra a todos, primeiro através dos profetas e hoje o próprio Cristo tem falado através dos seus servos, os pastores (Quando estes são fiéis). Hb. 1.1,2.

Que Deus aplique a sua santa Palavra aos nossos corações e que venhamos ser
transformados por ela.


Pr. Davi Gomes do Nascimento


____________________________________________________________
Sermão pregado no dia 23 de Abril de 2017 na IPF de São José do Egito-PE
      I.        

sábado, 8 de abril de 2017

PREGAÇÃO

 Isaías 1.2


O profeta Isaías, teria vivido entre os anos 765 AC e 681 a.C., durante os reinados de Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias, sendo contemporâneo à destruição de Samaria pela Assíria e à resistência de Jerusalém ao cerco das tropas de Senaqueribe que sitiou a cidade com um exército de 185 mil assírios em 701 a.C.
O nome Isaías significa “O Senhor é salvação”. Isaías começou o seu ministério perto do fim do reinado de Uzias, cerca de 758 a.C. Seu ministério estendeu-se por cerca de sessenta anos, através dos reinados de Jotão, Acaz e Ezequias. Segundo a tradição Isaías morreu como um mártir, cerca de 680 a.C., no início do reinado do ímpio rei Manassés. Segundo a tradição, ele foi serrado por este rei (cf. Hb 11.37). O tema do livro de Isaías é o mesmo do significado do seu nome: “O Senhor é a salvação”. O objetivo imediato do livro era ensinar a verdade de que a salvação é pela graça.
Ao abrir a boca, o Senhor dirige suas Palavras a uma nação rebelde que havia deixado o Senhor no esquecimento. Uma nação que se apresenta rebeldemente diante do Senhor, ela demonstrar um comportamento ingrato diante dos grandes feitos do Senhor.
A mensagem de hoje, tem como objetivo mostrar quatro aspectos da fala do Senhor contra a nação pecaminosa e a sua graça e amor para com a mesma:


         I.        A FALA DE DEUS É DIRIGIDA A UM POVO QUE DESDENHA DE DEUS COMO SEU PROPRIETÁRIO E PAI E SENHOR, V.3.

a.    Os animais conhecem o seu dono:

a.a. Animais domésticos (cachorros, gatos...)
a.b. Animais de pasto (boi, ovelhas, cavalos...)
a.c. Animais selvagens, quando são ensinados.
a.d. O povo de Deus não tinha conhecimento de Deus, Is 5.13.

       II.        A FALA DE DEUS REVELA JUÍZO CONTRA UMA NAÇÃO PECAMINOSA, V. 4.

a.    A nação de Israel estava mergulhada no mais profundo mar de iniquidade e em consequência a isto, havia no meio do povo:

a.a. Pessoas malignas, cheias de maldade;
a.b. a corrupção estava nos corações do povo
a.c. abandonaram o Senhor, para servir aos falsos deuses;
a.d. Blasfemavam contra Deus e não havia arrependimento.
      
       Deus estava prestes a punir a nação desviada e rebelde, Ele diz: “Ai desta nação pecaminosa”. Israel estava preste a experimentar do cálice da ira divina, sendo derramada sobre as suas cabeças.

                   III.        A FALA DO SENHOR REVELA A ENFERMIDADE INTERIOR E ESPIRITUAL DO SER HUMANO, Vs. 5, 6.

a.    O apostolo Paulo nos diz que "todos pecaram e dissubstituídos estão da glória de Deus". A enfermidade do ser humano é o pecado. Ele nasce doente espiritalmente. Vejamos o que Paulo nos diz em Romanos 3.12-19.

b.    Isaías nos diz que a casa de Israel estava enferma, doente e ferida. O profeta revela que essa doença era o pecado. O povo estava de todo enfermo. Vs. 5-8.

     IV.        A FALA DO SENHOR REVELA A SUA GRAÇA E O SEU AMOR PARA COM O PECADOR, V. 18, 19.

a.    O texto nos leva a refletir o quão pecadores somos e o quanto Deus nos ama a ponte de entregar seu próprio filho para nos conceder perdão e nos salvar do inferno – João 3:16, 36 João 5.29.

b.    Deus chama ao arrependimento a nação rebelde e lhes faz promessas, v. 18, 19.

c.    Hoje Deus tem chamado ao arrependimento, aqueles que estão em rebeldia contra Ele e promete apagar os seus pecados, At 3.19


 Ø  CONCLUSÃO: 


Qual a aplicação que fazemos de tudo isto que ouvimos hoje?

a.    Mesmo em meio a tanta violência e rumores de guerra, desvio doutrinários e afastamento de deus, Deus é Soberano e governa acima de tudo e de todos;

b.    O dia do Senhor se aproxima e seu Juízo é vindo a este mundo, Lc 17.26-29; 
II Pedro 3 : 7;

c.    Ele chama pecadores ao arrependimento. Ez. 32.11;       II Cor 7:10.

Se ouvirdes hoje a sua voz, Não endureçais os vossos corações. Hoje o Senhor te chama ao arrependimento, qual a tua decisão?

Que o Senhor nos abençoe! 


Pr. Davi Gomes do Nascimento

_____________________________________
Sermão pregado no dia 09 de Abril de 2017, no culto vespertino na igreja Presbiteriana Fundamentalista de São José do Egito-PE 

PREGAÇÃO

Daniel 1.5
         
         O texto como um todo relata a trágica migração dos Judeus para o cativeiro babilônico, nos tempos do rei Nabucodonosor. Eles passaram setenta anos reclusos nesta terra e ausentes de sua pátria tão amada. A Palavra de Deus esclarece que a causa deste cativeiro na Babilônia, foi pelo fato do povo ter se corrompido servido ao culto idolatria. A maioria dos reis, sacerdotes e o povo, fizeram o que era mal diante do Senhor, servindo a outros deuses, se inflamaram em sensualidades e transgrediram a Santa Lei do Senhor, provocando assim a sua ira, que foi derramada sobre toda a nação. Esqueceram-se de que “Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor”, Sl 33.12.
Dentre os exilados que foram levados para a Babilônia, quatro jovens que teriam suas vidas mudadas, pois pela sua fidelidade ao Senhor, eles puderam experimentar do cuidado e da providencia do Senhor, mesmo estando longe de sua terra. Estes jovens tiveram suas vidas mudadas, pois através deles, o Soberano Deus seria glorificado e a nação voltaria para o Senhor e o rei pagão confessaria que o Senhor é o Único e Soberano Rei. Aqueles jovens seriam instrumentos nas mãos de Deus para ensinar o povo infiel, o que é ser fiel e obediente ao Senhor. Foram jovens que em meio a idolatria, prostituição cultual e toda a sorte de elementos que provocam a ira de Deus, esses jovens não se contaminaram com a sociedade pagã, antes procuraram ser purificados e consagrados para o Senhor.
Como crentes em uma sociedade babilônica, sodomita e perversa como a nossa, como podemos ter e viver uma vida de purificação para o Senhor? 


 I.        RECUSANDO COMER DAS FINAS IGUARIAS OFERECIDAS PELO MUNDO, Vs 5-8.

Olhando o texto cuidadosamente, podemos ver que:


a.    Foi oferecido tudo do bom e do melhor para a alimentação daqueles jovens, pois era a mesma comida que o rei comia. Havia dois problemas com o cardápio real:

1.    Certamente havia elementos proibidos pelas leis judaicas e alimentos que nãos eram preparados de acordo com as estipulações mosaicas (Lv 11).

2.    Provavelmente a carne era dedicada a ídolos, como era costume na        Babilônia.


b.    O pecado aparentemente tem a face de beleza e bondade – Gn 3.6.


c.    Deus nos honra quando recusamos nos render as artimanhas do pecado – Vs. 8, 13, 15.

       II.        TENDO CORAGEM PARA “DIZER NÃO” AS TENTAÇÕES.


a.    Daniel resistiu às finas iguarias do Rei – Só podemos resistir as tentações, se estivermos revestidos com toda a armadura de Deus – Ef. 6.13.



b.    Daniel decidiu não se contaminar – A responsabilidade é pessoal. 


    c.    Daniel influenciou os outros, Vs 12, 13 – Ele passou a falar não apenas de si          mesmo, mas incluiu os seus companheiros.

      III.    DEUS NOS DÁ RECOMPENSA, QUANDO EXERCEMOS A NOSSA FÉ ONDE QUER QUE ESTEJAMOS, OU EM QUALQUER SITUAÇÃO QUE ESTAMOS ENFRENTANDO, V. 17.


        A fidelidade de Daniel foi recompensada pelo Senhor Deus. Deus nos honra quando temos uma vida de transformação, de obediência a sua Palavra e nossa fidelidade para com ele. Quais foram as recompensas que os jovens Daniel, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego?


a.  Conhecimento, inteligencia em toda cultura e sabedoria (No caso de    Sadraque, Mesaque e Abede-Nego).


b.    Dons de visões e interpretações de sonhos (No caso de Daniel).


  c. Foram honrados acima dos outros jovens e sábios da Babilônia, Vs 19, 20.

Ø   CONCLUSÃO: 

- Como é importante sermos fiéis ao Senhor, mesmo quando as coisas são difíceis, mesmos quando estamos vivendo uma vida de tribulações.

- Como é importante para a vida de um crente em Cristo, buscar e se dedicar a Palavra de Deus.

- Como é importante pra nós, resistirmos as finas iguarias que o mundo nos oferece; sabemos que o Senhor tem algo melhor para nos oferecer.

       Devemos nos lembrar de que Daniel e seus companheiros, não tiveram apenas bênçãos materiais, como comida, roupas, joias, status...
Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, tiveram livramento da fornalha de fogo ardente, por não se render a estatua que o rei havia construido. Daniel teve vários livramentos, mas o que ficou na história como marca de fidelidade foi ele ter sido lançado na cova dos leões e como o Senhor fechos suas bocas para que não viessem fazer mal ao seu servo Daniel.

O Deus de Daniel, Sadraque, Mesaque e abede-Nego é o mesmo Deus que nós servimos. Ele é o Deus que nos livra do fogo; Ele é o Deus que fecha a boca dos leões. Porem é o mesmo Deus que requer fidelidade por parte do seu povo, da sua igreja. Você é fiel ao Senhor?

Que Deus possa continuar nos abençoando, nos dando um coração dedicado a Ele e a sua obra. Amém.


Pr. Davi Gomes do Nascimento


      ______________________________________________________________
      Sermão pregado no dia 09 de Abril de 2017, no culto matinal na Igreja Presbiteriana Fundamentalista de São José do Egito-PE

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

OS DESINGREJADOS - Breve Reflexão




Por Taciano Cassimiro

Escreverei pouco sobre o assunto, e de forma muito simples, com base no que vejo acontecer ao meu derredor.
É comum encontrarmos pessoas que estão decepcionadas com Deus e com igreja ( no caso instituição ). Também é comum ouvir ou ler dessas pessoas argumentos bem elaborados, assim como elaboramos razões para não deixar de ir à igreja. Sem duvida a influência do ex-pastor presbiteriano, Caio Fábio, tem contribuído para que muitos cristãos outrora igrejados, sejam agora desingrejados. E não faltam acusações, que de alguma forma tente justificar o fenômeno: igreja ( instituição ) é lugar de hipócrita, o sistema é humano, o sistema é desumano, não existe amor entre os irmãos, os pastores são corruptos, e a lista não para.
Com base em justificativas do tipo é criado um polo, os desingrejados, onde pelo que parece não há hipocrisia, falta de amor, corrupção, mau testemunho. Percebe-se que ingenuamente ou propositalmente esquecem-se do ensino bíblico que diz que “o coração do homem é enganoso “.
O membro da igreja que pastoreio, Josivan Carvalho, publicou em sua pagina do Facebook “Falar que todo desigrejado é um herege rancoroso, é o mesmo que dizer que todo pastor é ladrão, todo padre é pedófilo, todo político é corrupto e todo facebukeano é burro”. Concordo com ele no que trata do absoluto. Porém é inegável afirmar que a muito rancor, muita heresia e às vezes até burrice. Assim como à dentro da igreja, também a fora dela. E uma coisa que percebo é que no Brasil tudo que cheira a algo libertário, religiosamente revolucionador, que caminha contra a boa tradição bíblica-histórica é sempre bem vindo. É preciso ter cuidado, pois nem tudo que reluz é ouro.
Como lidar com essa realidade?
Entendo que declarar guerra não resolve o problema. Atacar as heresias provenientes de tal movimento, somente, não resolve a questão. É preciso refletir seriamente. Descobrir as razões do fenômeno com base nas Escrituras, sem ignorar os fatos da experiência, ou seja, as coisas que acontecem dentro da igreja como: políticas eclesiásticas, perseguição, adoração a Mamom, ditadura, opressão e supressão, intolerância que de fato machuca e muitos por não saberem lidar emocional e espiritualmente passam a entender que saindo da igreja (instituição ) o problema será resolvido. “ Não podemos fechar os olhos para estes fatos.
Precisamos orar mais, ser mais tolerantes, dialogar mais, sem deixar de sermos fiéis as Escrituras. Defendo com unhas e dentes o congregar na instituição, não em qualquer instituição ( não entenda instituição de forma banal) embora já tenha tido inúmeras razões para sair dela. Mas não sou inimigo dos assim chamados “sem igreja” é meus irmãos em Cristo, e rogo que possamos juntos crescer em Cristo Jesus, de preferência sem deixar de ir a Igreja (Instituição).
Forte abraço aos meus irmãos e amigos de perto e de longe, de dentro ou de fora da instituição, porém, jamais fora de Cristo!

__________________________________________________
Líder da Igreja Presbiteriana de Tailândia-PA
Servo de Deus e servo do povo de Deus.

                                     




domingo, 13 de novembro de 2016

JESUS, A SOLUÇÃO PARA UM CORAÇÃO TRANSTORNADO



João 14:1-3

        O sofrimento faz parte da vida de todo o ser humano. A diferença entre os seres humanos, no sentido de sofrimento, é que uns sofrem menos, outros mais, ou no sentido de que as formas de sofrimentos e tristezas diferem uma das outras. Mas todos têm sofrimentos.
 Quando lemos este capitulo, podemos ver que faltavam poucas horas, para o nosso Mestre enfrentar a traição de Judas, a intensa expectativa no Getsemane, a negação de Pedro e o sofrimento e crucificação. Mas mesmo sofrendo a expectativa do que o aguardava, o Senhor Jesus conforta seus discípulos dizendo: “NÃO se turbe o vosso coração”. Coração turbado é um coração Transtornado, perturbado, Inquieto, desassossegado. Jesus não queria ver os seus discípulos tristes pela sua partida, mas que eles tivessem um coração confiante e esperançoso pelo que ainda havia de vir em favor deles. John MacArthur Jr diz “Em um lapso muito curto de tempo, o mundo dos onze discípulos iria desmoronar. As implicações de tudo quanto Jesus tinha dito aos discípulos deve ter chocado suas mentes e em João 14 eles estavam indubitavelmente atordoados, perplexos, confusos e cheios de ansiedade”. Vamos aprender algumas verdades nestes versículos, que são de muita importância para as nossas vidas.

I. ENCONTRAMOS UM PRECIOSO REMÉDIO PARA O CORAÇÃO TURBADO – A FÉ.

J.C. Ryle, comentando o versículo, ele diz que “Coração turbado é algo comum neste mundo. Nós encontramos em todas as classes sociais, e nada pode mantê-lo distante de nós”.
As pessoas andam tão envolvidas em seus problemas; andam tão abatidas e angustiadas que esquecem que existe um remédio para este mal, para esta doença que tem levado muitas pessoas ao distanciamento e até mesmo, muitos crentes tem sofrido deste mal, por isso tem se distanciado daquele propósito que foi chamado neste mundo, que é ser luz e fazer o diferencial.
Quero dizer a todos, que existe um remédio para o coração turbado. Esse remédio é a fé em Jesus Cristo. Esse é o único remédio para um coração turbado, um coração angustiado. J. C. Ryle nos diz que é preciso: “Crer mais profundamente, descansar sem restrições, apegar-nos com mais firmeza, depender mais completamente”.
John MacArthur comenta que: “Jesus estava dizendo: “Crede em Deus, ainda que não possam vê-lo. Crede também em mim”. “Continuem crendo”. “Sua fé em mim não pode diminuir só porque vocês não me verão”. “Eu ainda estarei presente com vocês”. Ele queria que os discípulos entendessem que embora Ele os estivesse deixando fisicamente, sua presença estaria com eles espiritualmente”.
Meus irmãos, embora as vezes os nossos corações se turbem, temos que lembrar, que o Senhor sempre está conosco. Por isso ele nos diz nesta noite: “NÃO se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim”.

II. JESUS NOS DÁ UMA ESTIMULANTE DESCRIÇÃO DO CÉU, A NOSSA HABITAÇÃO.

            Ainda nesta vida, e por estarmos presos a este mundo, entendemos pouco sobre a nossa morada eterna. O Senhor Jesus, nos ensina algumas evidentes verdades sobre o céu:

a.    O céu é a “casa do pai”, Jesus disse:vou para meu Pai”. O céu é o lar de Cristo e seus seguidores. Um lar, é um local onde somos amados pelo que somos, não por nossa capacidade e bens. Hoje estamos em uma terra estranha, mas no céu, estaremos em casa.
b.    O céu é um lugar de moradas eternas e permanentes, Neste corpo, habitamos como em tendas, tabernáculos, pousadas; no céu estaremos acomodados para sempre, Hb 13.14.
c.    O é um lugar onde o próprio Cristo estará presente. Viveremos com Cristo! "Os reinos do mundo vieram a ser de nosso SENHOR e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre."  (Apocalipse 11 : 15)

Devemos guardar estas verdades de uma forma cuidadosa. Para uma pessoa que vive na carne e na ilusão deste mundo, tais verdades podem não ser tão importantes. Talvez haja alguém nesta noite que ao ouvir esta palavra, não de tanta importância. Ache como sempre, que este sermão é irrelevante para sua vida. Mas para aqueles que estão cientes do ministério do Espírito santo em seu intimo, as Palavras de Cristo estão repletas de consolação.

III. ENCONTRAMOS NESSES VERSÍCULOS UMA FIRME CERTEZA DE ESPERARMOS AS COISAS BOAS POR VIR.

Jesus nos dá duas mensagens estimulo e esperança:

1.    Ele diz que vai “preparar lugar”  - O Céu é um lugar preparado para um povo especial, o lugar que Cristo mesmo preparou para os verdadeiros crentes. Aqueles que vão para o céu descobrem ali que eram bem conhecidos e esperados.

2.    Jesus ainda diz: “E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo”. Em 1 Ts 4.16, 17 nos é dito: “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor”. Aqui nos diz que Jesus virá a segunda vez e Ele mesmo levará a sua igreja para as moradas preparadas por Ele mesmo. Jesus, nos receberá e nos conduzirá até os céus.

CONCLUSÃO: J.C. Ryle conclue estes três primeiros versículos do capitulo 14 do evangelho de João, dizendo: Ao deixar essa passagem, tenhamos solenes e sérios sentimentos de auto-exame. Perdem muitas bênçãos as pessoas que vivem neste mundo e não procuram conhecer a Deus como seu Pai e a Cristo como seu Salvador pessoal.
Nunca devemos esquecer que o motivo real de Cristo ter ido preparar lugar, foi o seu grande amor para conosco. Que possamos viver esse tão grande amor. Amém.